#Resenha – Evangelho Maltrapilho

Fala galera, hoje traremos a primeira resenha do nosso blog. Será do livro Evangelho Maltrapilho e foi escrita pelo nosso parceiro Rhaller Duarte do blog Por Aí.

Sabe aquele livro que você mal começa a leitura e já é confrontado com uma outra realidade da qual você não está acostumado?! Pois é, “O EVANGELHO MALTRAPILHO” causa isso. É do autor Brennan Manning, pela Editora Mundo Cristão.

Eu não vou me estender muito sobre os assuntos que o livro trata, porque são coisas bem variadas que se ligam com um princípio muito interessante, que é o evangelho da graça e como essa graça nos alcançou e nos alcança sempre e continua nos transformando, ainda que sejamos maltrapilhos e não merecedores de nada.

Muitas vezes nós carregamos os nossos “títulos ministeriais”com tanta paixão, que acabamos deixando de lado – ou nem de lado, mas abandonando mesmo- algo que é muito melhor do que um título de “artista gospel”, alguém que se importa mais com a nossa essência do que com aquilo que temos para oferecer, porque no fim das contas, nós não temos nada de bom a oferecer para um Deus que é suficiente em tudo.

Esse livro traz uma realidade que é tão clara a graça de Deus, o amor dele por nós,  que faz a gente se perguntar: “ONDE EU ESTAVA ESSE TEMPO TODO QUE NUNCA PENSEI NISSO DESSA FORMA?!”  Vou deixar alguns trechos aqui pra vocês apreciarem essa obra prima (hahahaha)

“ o evangelho declara que, não importa o quão dedicados e devotos nós sejamos, não somos capazes de salvar a nós mesmos. O que Jesus fez foi suficiente. ”

“ talvez esteja aqui o coração da nossa neura, a raiz do nosso dilema. Oscilamos entre punir a nós mesmos e congratular a nós mesmos porque estamos iludidos de que podemos salvar a nós mesmos. Desenvolvemos um falso senso de segurança a partir das nossas boas obras e da nossa escrupulosa observância da lei. Nossa auréola fica apertada demais e resulta numa cuidadosamente disfarçada atitude de superioridade moral. ”

E pra terminar as citações do livro, só mais esse trecho:

“ Esses pecadores, essa gente que vocês desprezam, estão mais perto de Deus do que vocês. Não são as meretrizes e os ladrões que acham mais difícil se arrepender: são vocês, tão seguros da sua devoção e da sua farsa que não tem qualquer necessidade de conversão. ”

Que possamos entender a nossa condição diante de Deus. Somos pecadores, maltrapilhos e indignos de qualquer coisa, mas pela Graça que é tão inexplicável e maior do que qualquer coisa que possamos fazer, Ele nos encontrou e nos alcançou e demostrou seu amor por nós. E por isso podemos ser filhos, amigos e estarmos em comunhão com Ele.

SOLA GRATIA

Para ler no blog do Rhaller é só clicar AQUI